Desktop como servidor vs servidor de verdade

Servidor IBM System x3550 M3

Algum (bom) tempo atrás tive um cliente onde fiz a troca de um servidor com meu sócio. A empresa é de pequeno porte e tinha um desktop como servidor, porém este desktop começou a apresentar problemas com o HD, o qual precisava ser substituído. Ao verificar a placa-mãe identificamos alguns capacitores estufados e o processador do micro era um antigo Athlon XP, a fonte claro era uma genérica que nem me lembro a marca.

Juntando todos os problemas chegamos a conclusão que simplesmente trocar o HD e reinstalar Linux com todos os compartilhamentos não valia a pena pois o desktop com vontade de ser servidor apresentaria problemas pouco tempo depois da manutenção e acabaria gerando mais custo para o cliente.

Agora chega de história e vamos a algumas verdades sobre um desktop utilizado como servidor e um servidor de verdade. E acredite, isso pode fazer grande diferença para sua empresa.

 Desktop como servidor

  • Hardware não é desenvolvido para permanecer ligado 24 horas por dia durante vários dias ou meses.
  • Geralmente não possuem gerência remota (Gerência remota é diferente de acesso remoto. Vou escrever em breve um artigo sobre gerência remota de servidores).
  • Geralmente não possuem sistemas de redundância, o que faz com que o “servidor” pare totalmente caso ocorram determinadas falhas.
  • A grande maioria não suporta memórias ECC (Memórias com correção de erros, evitando a famosa tela azul, por um erro de memória).

Servidor de verdade

  • Placas e componentes de maior qualidade e confiabilidade.
  • Hardware desenvolvido para permanecer ligado por grandes períodos.
  • Melhor eficiência no processamento de dados.
  • Componentes redundantes como fontes e unidades de armazenamento (HD / SSD).
  • Instalação e / ou substituição de peças sem a necessidade de ser desligado (Hot swap).

Menos paradas, mais produtividade

IBM Light Path Diagnostics Display

A maior vantagem de um servidor de verdade é ter menos paradas na empresa. Isso é possível devido a recursos como o ECC (Memória RAM), que evita que o servidor apresente tela azul devido a erros de memória e também o Hot swap, que permite substituir ou instalar alguns componentes sem que seja necessário desligar o servidor (É claro que quando estamos falando de um HD ou SSD são necessárias algumas configurações e recursos na hora de preparar o servidor). E em servidores com fonte redundante, é possível substituir uma das fontes do servidor enquanto uma fonte funcional mantem o servidor ligado e disponível para toda a rede.

Isso faz com que a quantidade de paradas seja reduzida, e quanto menos paradas seu servidor tiver, maior a produtividade. Imagine que você tenha um servidor sem fonte redundante e você não tenha uma fonte reserva guardada. Seu servidor ficará parado até que você verifique o modelo da fonte, mande alguém comprar com urgência, a fonte tem que chegar e ser instalada.

Na correria e na extrema necessidade de colocar o servidor no ar a fonte não é devidamente instalada e ocorre a queima da mesma. Lá se vão mais algumas horas sem servidor, produtividade baixa, fazendo diversas coisas no papel ao invés de utilizar o ERP da empresa (que demora muito mais, claro), clientes ligando e reclamando do atendimento e etc.

Agora imagine que você tenha um servidor com fonte redundante, mesmo que você não tenha uma fonte reserva guardada no estoque. Uma das fontes apresenta defeito e para totalmente, porém a outra fonte mantem o servidor no ar (Claro que isso aumenta a carga desta fonte, mas ainda assim as coisas funcionam). É claro que você tem uma preocupação, pois o servidor está trabalhando com uma fonte a menos, porém sua empresa ainda está com a mesma produtividade, o servidor está funcionando, o ERP está acessível e os clientes estão sendo atendidos como se nada tivesse acontecido.

Custo X Benefício

Entendendo o ponto de vista acima, creio que talvez sua ideia sobre o custo x benefício de um servidor de verdade. Por mais que um servidor tenha o custo maior do que um desktop utilizado como servidor, se a sua empresa depende totalmente de arquivos compartilhados em rede ou de um ERP que precisa rodar em um servidor local, vale muito a pena adquirir um servidor de verdade.

É claro que você não precisa de um servidor gigante e caro, com todos os recursos citados e mais alguns. Existem servidores mais básicos como a linha “Proliant ML” da HP, que possui servidores na casa dos R$ 2000,00 a R$ 2500,00. É um investimento mais alto do que um desktop, mas que com certeza valerá a pena.

Qual o tipo de servidor da sua empresa ou da empresa em que você trabalha?

Que tipo de servidor mantem sua empresa funcionando? Um desktop querendo ser servidor ou um servidor de verdade? Qual o modelo? Quanto de memória RAM? Quanto de disco? O que ele faz? Compartilhamento de arquivos, roda um ERP, AD? Comente este artigo com algumas especificações do servidor da sua empresa ou da empresa que você trabalha.

Leave a Reply